Atitudes que atrapalham sua carreira

separator

Que a fofoca pode prejudicar muito a sua carreira, isso não é novidade! Mas ela não é a única responsável por dificultar aquele tão desejado trabalho. Em um mercado cada vez mais competitivo, o comportamento é o grande diferencial entre os candidatos e precisa ser exemplar. “Mais de 90% das faltas de trabalho são feitas pela postura, porque é ela quem realmente separa os profissionais”.

“A característica mais bem vista é sempre a ética, seguida pela seriedade, cumprimento de horários e o bom relacionamento com os colegas, sempre com respeito”.

Saiba que atitudes podem te sabotar:

Falta de pontualidade


Chegar atrasada uma ou duas vezes não é um grande problema, mas quando isso passa a virar uma constante, a sua reputação pode ser comprometida. “Tem muito profissional que diz ‘vê a hora que eu chego, mas não a que eu saio", e faz uma questão de equivalência. O que ele não lembra é que a empresa te contratou para aquela determinada hora porque pode precisar de você. Fazer extra faz a diferença e te destaca mais, mas precisa cumprir o horário porque pode aparecer uma ocorrência e você não ter como atender por não estar ali. Isso pode causar demissão e limitar a sua subida para um cargo de mais responsabilidade”.

Fazer-se de vítima

Ninguém gosta de uma pessoa que faz drama o tempo todo e assume a postura de vítima constante e na Moda não é diferente. “Esses trabalhadores acreditam que a empresa é obrigada a cuidar de sua carreira e ascensão, e então ficam passivos. O bom profissional tem que cuidar de si. Não assuma esse papel de vítima, lembre-se de que precisa ter habilidades e se treinar por conta própria, não espere da agência”.

Falar mal da empresa

Você costuma sair do trabalho e reclamar da empresa? Tome muito cuidado, pois isso pode sim atrapalhar. “Tanto internamente quanto quando você já saiu do ambiente de trabalho esse é um fator que pesa bastante para o ambiente. Além de se proliferar pelo local, o mundo dá muitas voltas e aquela pessoa para quem falou pode um dia ser seu chefe em outra companhia e lembrará desse comportamento”.

O principal problema de falar mal e não tomar atitudes para mudar é o fato de ignorar sua própria parcela de culpa e faltar proatividade. “O bom profissional tem que chamar a responsabilidade para si e tem que perguntar para ele mesmo ‘o que você pode fazer para resolver os problemas do local?”. Você vai encontrar problemas em qualquer emprego e terá que aprender a lidar com eles mais cedo ou mais tarde”.

Desrespeito e comunicação alterada


Certamente você já presenciou algum colega erguer a voz para outro e se alterar durante uma conversa ou discussão. Essa postura nunca é bem vista e deve sempre ser evitada. “Existem situações em que as pessoas se alteram por receber criticas ou algo desse tipo. Aparentemente uma discussão acaba ali, mas na prática não é isso que acontece, vai ter sempre uma pontinha de desgosto e incomodo por parte de quem foi desrespeitado e ela acaba se afastando. Quando receber uma crítica tenha em mente que essa é apenas a opinião do outro e não responda. O momento é de ouvir e depois, com calma e sem a cabeça quente, analisar para ver se tem fundamento”.

Falta de senso de prioridade

Saber separar as tarefas prioritárias das demais é fundamental para qualquer pessoa, e isso só conta pontos a seu favor. “Você precisa saber a diferença entre urgente e importante. Urgente é aquilo que tem pressa para ser entregue e importante é a relevância. A ordem de entrega vai do que é mais urgente e prioritário para os demais itens. Tente entregar sempre a mais do que é pedido, porque é isso que te qualifica para uma promoção e indica que você pode mais”.

Mentira “inocente”

Você já precisou sair mais cedo ou adiar a realização de um trabalho e usou uma mentirinha “inocente” para conseguir? Muito cuidado, isso também é prejudicial. “Esse é outro fator que acaba prejudicando muito, porque ser confiável é essencial. Uma hora a verdade sempre aparece e a credibilidade acaba ali. Mesmo que a outra pessoa converse e entenda seus motivos, você vai cair em descrédito por um tempo e afeta negativamente como as pessoas reagem ao que você diz”. Na dúvida, sempre conte os motivos reais e assuma a responsabilidade.

Redes sociais

Existe a ideia de que as redes sociais são parte da intimidade e que o que está ali não afeta diretamente sua vida profissional. No entanto, isso é um mito e usar filtros, direcionando publicações pessoais apenas para os amigos e familiares, é importantíssimo. “Elas estão aí para quem quiser ver. Se você compartilha frases e brincadeiras dizendo que só é feliz aos finais de semana, por exemplo, você pressupõe que o trabalho é um castigo. Você mesma escolheu trabalhar em um determinado local então compartilhar isso é ter uma inocência acima do aceitável e uma infantilidade. Não é bom para sua imagem”.

Fotos de bebedeiras, baladas e biquíni também pesam para sua imagem caso tenha alguém da empresa na sua rede de amigos: “Não existe diferença entre a vida pessoal e a profissional. Se o seu comportamento é um na vida pessoal ele será assim em qualquer lugar, a casa e o trabalho são microambientes e o que você mostra vai influenciar em como te enxergam”, completa.

Negocie sua agenda


As mulheres costumam ter muitos compromissos, já que possuem uma jornada dupla quando têm filhos. Portanto, saber negociar suas horas de trabalho e pedir para ter algumas brechas em situações especiais é imprescindível e os chefes atualmente são mais flexíveis nesse quesito. “A empresa tem que levar isso em consideração e você precisa aprender a negociar suas horas e compromissos familiares, como reuniões de escola do filho e aniversários, por exemplo. A mulher precisa aprender que pode e deve dizer não e planejar muito bem seus horários, porque elas necessitam de muita disciplina e uma agenda impecável para ter uma imagem forte no mundo corporativo. Se você diz que pode fazer um determinado horário e rotina e aí não consegue isso depõe contra você e prejudica a maneira como te enxergam, parece que não sabe cumprir suas tarefas. Ninguém nega que uma funcionária que entrega seus trabalhos e desempenha bem suas funções saia mais cedo para organizar a festa do filho”, finaliza Fernandes.  Evite algumas atitudes e conquiste o sucesso.

*Com informações de Naiara Taborda portal DaquiDaqli e Henri Fernandes, com MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getulio Vargas, Marcelo Cardoso - diretor da RM1, especializada em treinamentos e coaching profissional. Via Daquidali. Adaptações de Vinícius Aguiar.